Rádio Web Manawa

Direto do Blog

As pessoas e as criaturas

Tenho uma amiga que costuma usar a expressão “Assim como são as pessoas… são as criaturas”, quando ela não acha explicação melhor para algum comportamento do tal do elemento humano que, realmente, às vezes é muito difícil de entender…

Pra tentar entender divido as pessoas em duas “categorias” (pretensão e água benta cada um usa o que quer, rsrsrs).
A primeira é a categoria das pessoas que olham pra fora de si, veem o todo e se sentem fazendo parte desse todo invisível. Elas têm uma visão panorâmica, como se fosse uma filmadora se movendo horizontalmente.
Esta é, também, a categoria dos que sabem que existe um passado que influencia o nosso presente, que por sua vez, vai influenciar o nosso futuro, e assim por diante indefinidamente…

Já a segunda categoria é a daqueles que só têm a visão pontual, estática, como uma foto. E não têm como se sentir “fazendo parte” porque se não há o todo, também não há partes.
Elas são as pessoas que só conseguem ver o que está acontecendo agora, como se o que está acontecendo agora tivesse brotado do chão, simplesmente…
Pois se é que estas duas categorias realmente existem, quem sabe não será esta a diferença entres as pessoas e as criaturas?

Penso que os que não estão “fazendo parte” não têm como ver o outro, não tem como colocar-se no lugar do outro e, portanto, não tem como ser solidário e generoso com ele..
O Facebook tem sido para mim um terrível exemplo da capacidade que um grande número de pessoas que demonstram, nas postagem e nos comentários, ser insensíveis à miséria, à fome, à injustiça, aos problemas que enfrentam os negros, os gays, as mulheres. Demonstram ser insensíveis aos problemas sociais que voltam a atingir grande parte dos brasileiros.
É porque ele é insensível ao outro!
Depois me lembro com tristeza: eles são as pessoas de segunda categoria.

p.s. A ilustração é a gravura “Oito cabeças” xilogravura de de M.C. Escher, de 1922.

 

 

 

Comentários Facebook