Rádio Web Manawa

Direto do Blog

A BANDA TITÃS SEGUE EM FRENTE NO NOSSO ROCK

Depois show de 13 de abril de 2017, num teatro da cidade de São Paulo, ontem (28 de julho) no teatro do Bourbon Country em Porto Alegre os Titãs mostraram que são a melhor banda de todos os tempos da música brasileira que seguem em frente abordando temas atualíssimo na sociedade brasileira.
Mesmo com a saída de integrantes de raiz da banda como Ciro Pessoa, Arnaldo Antunes, Nando Reis, Charles Gavin, Paulo Miklos e o falecimento de Marcelo Fromer, os Titãs ainda estão na trilha do rock brasileiro e seguem em frente. Dos três integrantes originais temos Tony Belloto que emplacou o hit “Polícia”, Branco Mello e Sérgio Brito.
A banda com toda a voltagem roqueira proporcionada por Beto Lee na guitarra e Mário Fabre na bateria, Sergio Britto voz e baixo, Branco Mello voz, teclado e baixo e Tony Bellotto na guitarra tocaram clássicos titânicos como: Isso, Enquanto Houver Sol, e Toda Cor.
Os Titãs também apresentaram algumas canções inéditas, nas quais vem trabalhando desde o ano passado: 12 Flores Amarelas, A Festa e Me Estuprem, esta última aborda tema do assédio sexual de mulheres por homens como muita ironia na sua letra.
Titãs em Uma Noite No Teatro marcou ontem a celebração de 35 anos de carreira da banda e o próximo show será hoje (29 de julho) em Florianópolis no Costão do Santinho Rock weekend às 22h30.
Os Titãs, seguem pelo Brasil fazendo shows com um repertório de qualidade do nosso rock, incluindo canções do incensado Nheengatu, cd que redimensiona o rock brasileiro contemporâneo, o grupo paulistano, formado em 1982, mais uma vez se reinventa nos palcos em São Paulo, Porto Alegre, Florianópolis e muitos outras cidades brasileiras.
Trinta e um anos depois de “Polícia” (1986), a banda volta a criticar as forças de segurança do país em “Fardado”, faixa que abre o álbum “Nheengatu”. No lugar de “Polícia para quem precisa de polícia” entra “”Por que você não usa essa farda, pra servir e pra proteger?”
No clipe, Sérgio Britto, Branco Mello, Paulo Miklos (ele saiu da banda em 2016) e Tony Belotto aparecem vestidos de palhaço — que é como muitos brasileiros se sentem quando têm seus direitos desrespeitados pelos maus policiais. Além dos quatro, Mário Fabre completa a banda na bateria. Confira este vídeo clip aqui embaixo.

 

*Professor de Geografia na Rede Pública Estadual da cidade de Porto Alegre.

 

Comentários Facebook