Uma jovem de 20 anos deu à luz quadrigêmeas na Maternidade Ana Braga, na Zona Leste de Manaus, no domingo (2). Segundo a instituição, uma bebê não resistiu e faleceu por complicações após o parto. A mãe e as outras três recém-nascidas seguem internadas.

Elas chegaram ao mundo com prematuridade extrema: apenas 27 semanas de gestação (o que equivale a cerca de seis meses) e pesando em torno de 600 gramas.

A mãe, Claudiane Khadyja Costa Pinto, deu à luz uma semana após ser diagnosticada com malária. As meninas nasceram em um intervalo de 50 minutos: a primeira às 21h50, e a última às 22h40.

Uma das bebês morreu no dia seguinte, após sofrer insuficiência respiratória, causada pelo prematuridade extrema.

Já as demais meninas seguem internadas em leitos da Unidade de Terapia Intensiva (UTI), com o quadro estável. A expectativa é de que elas fiquem recebendo atendimento na maternidade por mais três meses, quando deverão atingir um peso razoável para ganhar alta.

Gravidez descoberta em exame de rotina
Ao g1, Claudiane contou que descobriu que estava grávida de quadrigêmeas durante um exame de rotina.

“Foi durante uma consulta com um ginecologista. Estava fazendo a transvaginal, quando o médico viu que eu estava grávida não de um bebê, mas de quatro. Foi uma surpresa muito grande para mim”, relatou.

“Foi um período muito difícil. Logo antes de tê-las, ainda peguei malária, além das contrações que doeram bastante. O parto também foi bem complicado, principalmente o da minha primeira filha”.
A mãe das quadrigêmeas informou que está aceitando doações de itens para cuidar das meninas, como fraldas. Quem puder ajudar, pode entrar em contato pelo número: (92) 98619-7266.

Segundo caso em duas décadas
Esse é o segundo nascimento de quadrigêmeos no Amazonas em mais de duas décadas. O último ocorreu no ano passado, quando a cozinheira Michelle Freitas, de 38 anos, ganhou uma quarta filha surpresa.

Na época, Michelle concedeu entrevista ao g1 e relatou que passou os sete meses da gestação acreditando que teria somente três bebês. Até que, na hora do parto, descobriu que estava grávida de quadrigêmeas.

Antes desse caso, o último parto de quadrigêmeos no Amazonas havia ocorrido em 1999.